Notícias

Ver lista completa

Abayomi

  • Compartilhar:

Para contar um pouco da história e a cultura de seu povo, Marcela Alexandre escreveu um texto recheado de delicadeza e amor...As turmas do 5º Ano conheceram essa história e confeccionaram suas abayomis.

   Quando conhecemos a origem, a raiz de algo, damos mais força e valor a ela, não é?

   Bom, a Abayomi tem uma história muito linda, que começa bem antes de todos nós nascermos, é uma história de um significado rico e forte, que deve ser lembrada eternamente.

   Há muitos e muitos anos atrás, havia um povo lindo, de pele negra como a noite, sorriso iluminado como as estrelas e olhar encantador como a lua. Eles viviam livres, tinham suas famílias, amigos. Haviam muitas crianças, mulheres fortes e alegres, que cantavam, dançavam e saudavam a natureza de forma ímpar e respeitável. Tudo caminhava em paz naquele local, eles tinham o direito de ir e vir, plantar, colher e comer, tinham terras, casas e nada ali faltava. 

   Eis que um dia e por vários dias aquele lugar foi invadido por pessoas diferentes que tinham nas mãos algo que ceifava vidas e espalhava o medo, a destruição e o pavor, as crianças e os adultos estavam perdidos, amarrados, famintos, impotentes e um a um era jogado dentro de navios sujos, apavorantes e que tirariam daquele povo vivo a vida! Pra onde iriam, pra que, por quê? Eles não sabiam, apenas eram jogados e largados ali. Apanhavam muito e adoeciam devido sujeira, fome e doenças que se espalhavam. Era muita dor! Os adultos eram jogados no mar, as crianças perdidas muitas vezes das mães choravam, pediam socorro e acalanto. 

   Esse povo tinha uma força surreal, pois mesmo em meio a tanta dor, humilhação e sofrimento eles chegavam vivos, cuidavam dos mais fracos, tinham esperança que o coração daqueles que causaram tamanha dor não seria capaz de mais atrocidades. 

   As mulheres, ah as mulheres e sua incrível capacidade de amar, sentir e cuidar, criaram a ABAYOMI. Uma pequena boneca preta, sem traços, com muita delicadeza e pureza, feita com pedaços das saias das mulheres que conseguiam sobreviver. Sentadas ali elas amarravam as pontas, faziam tranças, vestiam roupas nas bonecas e conseguiam por instantes se desvincular daquele sofrimento e oferecer algo significativo. Essa talvez seja a parte mais forte, a boneca é vista como um amuleto de sorte, um pedaço de pano carregado de amor e felicidade, assim elas deixavam de lado sua dor pessoal para fazer algo que traria felicidade a alguém. Não havia tesoura, cola, costura, não tinham paz, mas tinham mãos cheias do amor puro que aquele povo sentia por si próprio, eles se cuidavam.

   As crianças brincavam e podiam vivenciar ali uma infância que em breve seria totalmente roubada.

   A Abayomi, em especial as Dandarinhas não são produtos, e sim memórias dos nossos ancestrais, que devem ser respeitadas e valorizadas, pois carregam a história sofrida dos nossos antepassados.

    Mais uma etapa do nosso projeto anual !!! Momento de muito aprendizado e muito amor.

Confira as fotos, clicando na imagem abaixo:

Acesse de um dispositivo móvel:

São Paulo da Cruz
Delta Tech - Gerenciamento de Conteúdo